A diferença entre “I like donuts” e “I’m eating a #donut” by Nádio Paulo – EDIT. – Disruptive Digital Education

A diferença entre “I like donuts” e “I’m eating a #donut” by Nádio Paulo

Artigo

Nádia Paulo, Marketing & Communications Assistant, na Altitude Software, realça que as empresas devem perceber que redes sociais distintas implicam conteúdos apresentados de forma distinta.

Quando temos uma conversa cara-a-cara com alguém, é frequente identificarmos a necessidade de utilizar uma linguagem diferente, consoante as características do nosso interlocutor.

Por exemplo, se precisamos de explicar ao nosso sobrinho de 5 anos para que serve, digamos, o Pinterest, não vamos utilizar os mesmos termos ou fazer um discurso tal e qual como se o tivéssemos de explicar à nossa amiga de 30 anos (que é um bocadinho info-excluída) ou ao nosso avô de 80.

O mesmo acontece quando estamos a escrever um conteúdo que vai ser replicado em várias plataformas na web. Vamos tomar como exemplo este artigo que estão agora a ler. Se eu quiser divulgá-lo no Facebook, será suficiente pegar nas primeiras frases, por uma imagem atrativa e publicar? Ou vale a pena tentar adaptá-lo para que, de uma forma resumida, consiga apresentar a ideia e levar mais pessoas a lê-lo? Se automaticamente pensaram que a segunda hipótese seria a mais correta, estão no caminho certo!

Então e se quiser divulgar a mesma informação com a minha conta de Twitter e de LinkedIn? Vou fazer um “copy-paste” do que acabei de publicar no Facebook? Não. No Twitter tenho de ser mais concisa, mais “straight to the point”, pois tenho o limite dos 140 caracteres e posso querer ainda adicionar uma imagem. Vou também querer usar, provavelmente, mais hashtags. No caso do LinkedIn, é sempre bom “puxarmos” mais para o lado profissional, adaptando o texto aos objetivos desta rede social. Nas restantes (Instagram, Snapchat, Pinterest, …) o mesmo acontece. No caso específico destas três, a imagem é o ponto forte e devemos sempre tirar partido disso.

Se repararem com atenção no vosso feed das redes sociais, vão notar que algumas marcas/empresas/organizações que seguem nem sempre aplicam este princípio. Quando estiverem a gerir as redes sociais da empresa para que trabalham, lembrem-se destes “pormenores”. Eles podem, realmente, fazer a diferença.

Esta imagem explica a ideia essencial:

Nádia Paulo – Marketing & Communication, na Altitude Software

Workshop Digital Content Marketing Strategy

 


Partilhar:

    Fale conosco

    Interesses

      Subscrever Newsletter

      Interesses