Previsões para o Social Media em 2018: Facebook & Linkedin – EDIT. – Disruptive Digital Education

Previsões para o Social Media em 2018: Facebook & Linkedin

Artigo

2018 promete ser um ano de grandes mudanças no mundo das redes sociais! Partilhamos contigo, neste artigo de blog, algumas previsões para o Facebook e LinkedIn, apresentadas pela plataforma Social Media Today.

O mundo do Social Media Marketing teve um grande crescimento e desenvolvimento no ano de 2017. Principalmente no campo da produção de conteúdo e do vídeo, com um grande incremento a par do rápido declínio dos intervalos de atenção dos consumidores.

A plataforma Social Media Today apresenta algumas previsões para este ano de 2018, com base naquilo que foi a evolução das redes sociais em 2017. Partilhamos algumas delas, nas redes sociais Facebook e LinkedIn.

Facebook

Crescimento da Realidade Aumentada

A AR vai crescer e tornar-se mais proeminente no Facebook, com o possível aparecimento de experiências que misturam os mundos online e offline. Como referiu o criador da rede social, Mark Zuckerberg, o “vídeo não será o fim da linha”.

Desenvolvimento da Realidade Virtual

A rede social já está a dar passos no campo da VR, e da interação social neste ambiente. Contudo, o custo continua a ser a maior limitação deste ponto, e unem-se esforços no sentido de difundir esta tecnologia.

E-Commerce adota o Messenger

A introdução dos chatbots lançou uma nova era das mensagens, e o Messenger tornou-se a plataforma chave, facilitando praticamente todas as interações do nosso dia a dia. Contudo, e o próprio Zuckerberg já admitiu, a monetização do Messenger está a demorar mais do que o idealizado, sendo expectável que o Facebook aplique os seus esforços neste campo em 2018, permitindo aos utilizadores completarem transações rapidamente e de um modo fácil através do Messenger.

Melhor tracking e medições

O Facebook também procurará introduzir mais formas de ligar os anúncios online às compras offline, e providenciar maior transparência, não só para garantir os seus utilizadores, mas também para provar que as suas opções de anúncios geram, de facto, resultados. Ao mesmo tempo, o Facebook exercerá uma maior supervisão sobre o funcionamento do Feed de notícias, conduzindo ao declínio do alcance orgânico das páginas, o que por sua vez levará as marcas a procurar soluções alternativas.

Linkedin

Melhoramento dos dados

Como é sabido, o LinkedIn detém um extenso conjunto de dados profissionais, tornando-se por isso um excelente candidato a plataforma obrigatória para profissionais de recursos humanos e candidatos a emprego. Esperam-se grandes avanços nesta rede social em 2018, principalmente na plataforma Recruiter, onde já se têm verificado melhoramentos. Eventualmente, o sistema poderá ser capaz de fornecer recomendações relevantes sobre o percurso profissional ideal e o candidato ideal, com base em tendências relacionadas.

Foco no vídeo

O LinkedIn poderá aproximar-se ao Facebook, procurando financiar o seu próprio conteúdo, e criando, por exemplo, uma programação exclusiva focada no negócio que atraia a sua audiência. Contudo, uma vez que só recentemente o LinkedIn adicionou o vídeo nativo, esta possibilidade poderá ser um pouco mais remota.

Algoritmo melhorado para relevância do feed

Nesta rede social, o feed é gerido por um processo de classificação interno, e o seu algoritmo ainda não se encontra num nível ótimo, dado que regularmente apresenta publicações mais antigas. Neste sentido, é expectável que o LinkedIn continue a melhorar o seu feed de modo a aumentar o engagement com os utilizadores, ajudando assim a promover melhor o conteúdo atual e relevante disponível na plataforma.

Ferramentas de carreira avançadas

A plataforma LinkedIn Learning continuará a ser melhorada, e consequentemente as opções de aconselhamento de carreira. A rede social encontra-se numa posição privilegiada, dado o seu vasto conjunto de informação sobre o percurso dos utilizadores, podendo assim oferecer conselhos e recursos educacionais que permitam melhorar o posicionamento profissional de cada um.

Estas foram algumas das previsões delineadas para as redes sociais Facebook e LinkedIn. Na segunda parte deste artigo, iremos partilhar as tendências para 2018 do Instagram e Twitter.

Fonte


Partilhar:

    Fale conosco

    Interesses

      Subscrever Newsletter

      Interesses