Roberto Oliveira
Tutor

Entrevista

Roberto Oliveira licenciou-se em Gestão e, desde cedo, demonstrou interesse no marketing digital. Juntando estas duas áreas na qual tem interesse, é atualmente Digital Experience na NOS SGPS e tutor da EDIT. - Disruptive Digital Education.

Roberto explica a importância do Digital Analytics e, ainda, aborda um pouco do seu percurso profissional.

O segredo do digital analytics para a utilização dos dados para a construção de conhecimento é a sua segmentação.


Sendo a tua formação em Gestão, o que te fez interessar pelo marketing digital?

Sempre fui muito cativado pela forma como a publicidade funciona, no geral. É fascinante pensar que o marketing tem a capacidade de criar e moldar as necessidades do consumidor, muitas vezes de forma subliminar.

Enquanto amante desta área, sempre tentei perceber o que estaria por trás de cada peça para avaliar a capacidade de comunicação das empresas. O marketing digital apareceu depois e foi uma extensão natural do meu interesse enquanto e-cidadão. Enquanto consumidor, quando estou online, estou mais predisposto a consumir publicidade, sobretudo pelo poder contextual que está disponível.


O que te fascina nas metodologias do digital?

Sem qualquer dúvida a contextualização e o remarketing. A primeira, pois eu já não tenho de ver anúncios que não são relevantes para mim ou para o que estou a fazer no momento. A segunda porque consigo ter conversas mais profundas com as empresas com que interajo no meu dia-a-dia.

Na ótica das empresas, estas duas funcionalidades podem incrementar fortemente os resultados obtidos, canalizando investimento de alguns meios mais tradicionais para o meio online.


Descreve, de forma breve, o teu percurso profissional.

Abracei o projeto Optimus/NOS em 2013, onde comprei media publicitária durante 1 ano e meio. Nesta equipa, entre outros, fui responsável pela componente de media online da campanha de lançamento da NOS em Maio 2014.

Atualmente trabalho na equipa de Experiência Digital, onde sou responsável pelo Web Analytics, trabalhando diáriamente sobre os dados das propriedades digitais da NOS.


A quantidade de dados recolhidos por empresas é cada vez maior, tornando-se mais difícil recolher informação útil desses mesmos dados. Qual é a estratégia que consideras essencial para este tipo de situações?

Um dos maiores desafios da Big Data é precisamente o excesso de recolha de informação vs capacidade de processamento de dados.

O segredo do digital analytics para a utilização dos dados para a construção de conhecimento é a sua segmentação. Vamos imaginar que eu estou a gerir uma loja online de grande consumo e quero retirar insights do meu Analytics para implementar uma campanha de banners. É mais mais útil saber que o segmento dos homens entre 35-45 anos é o que mais compra na minha loja online aos fins-de-semana e a partir das 18:30 (informação que posso utilizar na minha compra de media), do que saber que a minha loja online vende muito de sexta-feira a domingo.


De que forma o uso e a análise de dados permite a uma empresa ou marca tomar melhores decisões?

Existe uma grande diferença entre o que o consumidor diz que faz e aquilo que faz realmente. O Analytics permite aos profissionais e empresas melhorarem o seu conhecimento do utilizador, complementando alguns estudos de mercado que façam, sabendo exatamente o que move o seu consumidor, assim como conhecer melhor os seus interesses.

As decisões de “que funcionalidades desenvolver a seguir?”, “onde queremos colocar os nossos banners?”, “quem é o consumidor típico do meu produto?” podem ser facilmente realizadas com a utilização de dados standard no Analytics, o que irá certamente marcar o futuro dos negócios.


Que futuro vês no Digital Analytics?

O Digital Analytics vai passar a ser mais democratizado, com o acesso generalizado às tecnologias de recolha e processamento de dados, o que fará com que as empresas que não utilizem este tipo de tecnologia fiquem com um gap tecnológico superior.

Num futuro muito próximo, a tecnologia de analytics irá sofrer avanços muito grandes ao nível do acesso à informação em real-time (real-time analytics), abrindo um mundo de hipóteses ao nível da utilização desta informação para tomar decisões rápidas e certeiras.


Que tipo de recursos utilizas para te manteres a par das notícias e tendências da área? Podes partilhar alguns connosco?

Existem muitas comunidades de Digital Analytics na internet: uma das mais conhecidas é o fórum do Google Analytics, onde são discutidos assuntos desde as bases do Analytics a implementações mais complexas em softwares móveis. Nesta comunidade estão presentes algumas figuras conhecidas no mundo do Analytics, como o Daniel Waisberg.

Outro grande recurso é o blog deste autor, “Online Behavior“, onde frequentemente são publicados tutoriais e artigos de reflexão sobre as últimas tecnologias de Analytics, como foco para o marketing.


Tens alguma meta profissional que gostarias de cumprir nos próximos tempos?

Enquanto formador nesta área, gostaria de converter o máximo nº de pessoas para a utilização do Google Analytics enquanto fonte de verdade nos seus negócios, explorando todo o potencial de conhecimento para o desenvolvimento de produto, antecipação de procura, compra de publicidade, otimização web, etc.

Hoje, estas tecnologias ainda estão muito sub-aproveitadas e é algo que quero mudar.


Por último, gostarias de deixar algum conselho para os alunos que ambicionam singrar na área do Digital Analytics?

Não tenham medo de explorar, tentar e errar.

A área do analytics funciona por hipóteses e é através de experiência que se obtém mais conhecimento e também mais rápido.

Se nunca falharam, é porque não estão a trabalhar corretamente!



Partilhar:

    Fale conosco

    Interesses

      Subscrever Newsletter

      Interesses